Viagem de moto pelo Brasil - Mato Grosso

Nesta época, na região centro oeste, é muito comum as chuvas, e para confirmar foi mais uma noite de chuva, mas como parou mais cedo, saimos por volta de 10h30min, após o Luciano ficar umas duas horas arrumando sua bagagem e depois quebrar uma lente de seu óculos de sol. Tínhamos então um Pirta no grupo...

Saimos sem saber em que cidade iamos dormir. Chegamos na entrada da Reserva dos indios Parecis e pagamos o pedágio de R$ 10,00 por moto, que é cobrado em função da cessão de terras para construir a estrada. Parte deste dinheiro é para a Funai e também para engordar os bolsos dos politicos.

Passamos a reserva, com destino a Sapesal e em direção ao estado de Rondonia. No trajeto pegamos chuva em vários trechos, mas era questão de 20, 30 minutos e aliviava voltando o sol. Tipico dessa época do ano nesta região.

O Luciano, mesmo tendo ganho uma bela luva de presente de sua filha Natália, viajava com uma luva estilo "Ana Maria Braga", daquelas que ficam os dedos à mostra e, claro, com isso, dando oportunidade de entrar, por exemplo, ABELHAS. E foi o que aconteceu, entrou uma abelha e ferrou a mão direita, o que causou um inchaço e dores inerentes.

Mais uma vez acabou a gasolina da moto do Luciano, mas dessa vez havia reserva no galão. Abastecido, seguimos e entramos no estado de Rondonia, portal da Amazonia, 5 km antes da cidade de Vilhena.

Tocamos mais um pouco e fomos dormir na cidade de Cacoal (RO). Paramos no hotel Central, com diária bem razoável e fomos curtir o centro da cidade. Paramos numa lanchonete, onde o proprietário é de S.J. Pinhais e serve espetinhos de varios tipos, assados numa "xixeira" na calçada. Na extensão da calçada são colocadas mesas em frente de lojas e muita gente prestigia o local. Se isso fosse feito em Canoinhas, com certeza não daria certo, mas aqui dá. Após umas beers e uma garrafa de vinho do Marcos, fomos ao berço.

Percorridos 580 km