A ideia do passeio surgiu quando nos deparamos com uma semana de trabalho mais curta. Sim, haveria um feriado nela. Maravilhoso, bom para descansar a mente. Foi então que pensamos em fazer um passeio de moto, bem na quarta-feira, 01 de maio, dia do trabalho.

Segunda de Carnaval, nada como ir para a avenida. Avenida não, vamos para a estrada! Meu filho, nossa branquela (Yamaha Ténéré 250-2011) e eu. Levantamos cedo, preparamos a mochila com algumas coisas para beber e comer e, com Deus na frente nos guiando e protegendo, pegamos a estrada rumo a Ilhabela.

Era sábado, dia de pôr a branquela na estrada. Perguntei à garupatroa o que ela gostaria de fazer naquele lindo dia. Ela respondeu que queria comer peixe. Pensei em ir para Santos, mas depois me lembrei de uma reportagem que havia visto na internet sobre uma rua com vários restaurantes à beira do rio Piracicaba.

A temperatura estava agradável quando acordei naquele domingo. Faziam 19 graus às 6h da manhã, então resolvi pegar a Valentina, minha Yamaha Fazer 250 ano 2011 e coloca-la na estrada para fazer um passeio até São Roque.

Era sexta-feira, o dia estava lindo, com um céu azul e o sol brilhando. Por volta das 13h30 minha esposa e eu dávamos início à nossa segunda lua de mel. Completaríamos um ano de casados e esta seria nossa primeira viagem de moto um pouco mais longa. A ansiedade era grande.

Essa nossa história começou na véspera. Estava acontecendo em nossa cidade (Vinhedo) mais uma Festa da Uva, comidas, bebidas e show do João Neto e Frederico com entrada 0800. Com entrada grátis malandro, claro que nós estaríamos lá. Para quem quiser ir de moto até Vinhedo para a Festa da Uva é sempre em fevereiro pagando somente o estacionamento que é por volta de R$ 15,00 com guarda volume para o capacete e tem fácil acesso pela Rodovia Anhanguera, onde não é cobrado pedágio de motocicletas.

O evento no Brasil em comemoração aos 110 anos da Harley-Davidson aconteceu em junho de 2013, na cidade de São Paulo. Na sexta-feira pela manhã segui de Curitiba para a capital paulista com a Serra do Cafezal infernal. Não havia acidente, o movimento foi muito além da capacidade da pista, o que consumiu o dia inteiro para fazer os 400 km do percurso e só chegando ao hotel à noite.

Pagina 1 de 2
Ver mais artigos

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia