Viagem de moto pela África

Sempre fomos adeptos a aventuras como trilhas em Machu Picchu e caminhadas nas montanhas e no verão deste ano não foi diferente. Minha esposa está trabalhando em Nacala a Velha – Moçambique e eu moro em São Luis-MA. Aproveitamos minhas férias e a folga de campo da minha esposa para curtir as estradas e paisagens da África do Sul.

Estávamos decididos a alugar um carro, mas pensamos: - Porque não alugar uma moto? Pesquisamos na internet e descobrimos uma empresa em Johanesburgo que aluga motos da BMW. Entramos em contato com a empresa através do site e agendamos a retirada da moto. Seria uma GS800.

Quando fomos retirar a moto tivemos uma surpresa, a empresa nos cedeu uma GS1200 pelo mesmo valor da 800! Não questionamos e aceitamos, juntamente com um GPS (essencial para a viagem) capacetes e luvas. Vale a dica: alugue também uma bolsa de tanque e baús. Ajuda muito!

Andamos dois dias pela cidade de Johanesburgo conhecendo os pontos turísticos como o Bairro Soweto, parques e museus. A cidade é maravilhosa!

Partimos para Pretoria percorrendo uma boa estrada, muitas vezes com 4 a 5 pistas. Detalhe: o sentido de direção é "mão inglesa", então atenção! Cheguei a entrar 3x na contramão.

Ficamos dois dias em Pretoria, que é a capital da África do Sul. Uma cidade bem arborizada com parques, museus e muitos pontos turísticos.

Logo depois de Pretoria seguimos rumo a Hazyview. A estrada é muito boa, sem buracos e bem sinalizada. Com o piloto automático acionado dá para descansar a mão direita e andar, 100, 200, 300 km sem cansar.

Chegando em Belfast adotamos o caminho passando por Lydenburg, Sabie e Graskop. A estrada é sinuosa repleta de montanhas e um visual lindo.

Em Hazyview, procuramos uma empresa que realiza o safári no Kruger Park, e passeio em elefantes. No segundo dia, após os passeios, seguimos rumo ao Panorama Route. Estrada repleta de cânions, mirantes, florestas de eucaliptos, quedas d'água. Almoçamos em Graskop, fizemos todos os passeios e voltamos para Hazyview.

No dia seguinte retornamos para Johanesburgo para devolver a moto.

Foram ao todo 1600 km em 8 dias muito intensos e altamente recomendados a todos que querem viver o prazer de andar em entradas bem pavimentadas, pistas sinuosas e com um visual incrível.

Com certeza esta viagem vai ficar para sempre em nossas memórias.