alt

América do Norte, Alaska, USA

Fairbanks

Às 9 horas do dia 25 de Julho, a Electra entrou na loja H-D para fazer a revisão geral, trocar ambos os pneus e lavagem. Às 17 horas estava pronta. Apenas a lavagem deixou muito a desejar, porque ficou muito barro entranhado nas fendas e sujeiras de insetos etc. nas superfícies. A solução foi apelar e dei-lhe um bom banho de WD-40, que é igual ao Bombril com suas mil e uma utilidades.

 

O dia seguinte, 26 de Julho, foi para dormir bastante, limpar o equipamento de chuva, lavar a roupa e analisar a situação financeira. Como o gasto da ida foi além do estimado, a solução prática é simplificar radicalmente o roteiro da volta e pernoitar em Bad&Breakfast ou motéis de pequenas cidades. A fim de enxugar despesas, abortei a ida a Anchorage e reservei o pernoite em Tok, já no rumo da fronteira com o Canada.

 

Nesses dias, parado, sobra tempo para ponderar os acontecimentos e a saudade da família é uma sensação quase física, oprimindo o peito.

 

Meia-noite, sem sono, tirei uma foto do poente, que permanece com claridade. O sol permanece um pouco abaixo do horizonte e a luminosidade que persiste – se bem me lembro das aulas de ótica – é consequência da refração da luz solar.

 

alt

 

Enquanto admirava os efeitos da luz, pensava que amanhã estarei partido para não voltar nunca mais a esta terra mágica, que por tanto tempo ocupou a minha imaginação e alimentou os meus sonhos. Grande Alaska! Foi uma bela luta que tive contigo no North Slope Borough e obrigado por me deixar escapar.

 

Para se ter uma ideia sobre o humor das pessoas que moram no extremo Alaska e o que pensam sobre esse último trecho realizado da viagem, entre Fairbanks e Deadhorse, seguem fotos dos patches vendidos em Prudhoe Bay.

 

alt

alt

 

 
PHD Artur Albuquerque
Fonte: http://phdalaska.hwbrasil.com/site/http://www.phd-br.com.br/