Viagem de moto até o Alaska

Olá amigos!! Escrevo de Palenque, México. Estou no território de Chiapas, de tradição zapatista. Olha íì, Adilson! Mas hoje não pega mais nada, não tem havido conflitos. Segundo me disse um guia, houve coisas positivas decorrentes dos conflitos aqui, mas resultou também em uma política assistencialista aos indígenas, e isto muito tem a ver com a viagem de ontem, pois vivem sem muito trabalho, a beira da rodovia (MEX 199), e por causa deles (não de modo algum para segurança nas carreteras), há muitas e muitas lombadas no caminho, porque é ali que pedem dinheiro e vendem seus produtos. Basta uma vendinha na beira da estrada, uma tendazinha, e já tem lombada. Muitas parecem ser feitas a mão, de cimento, por eles próprios.

Bem, saindo de Antigua se pega a direção de Chimantenango, e depois dali a rota 1 Panamericana para o norte ou noroeste. Muitas curvas em bom asfalto, 3000 m de altitude, muito frio. Segue-se até a fronteira em La Mesilla. Não há quase policia. Embora Antigua seja abarrotada de policiais e do exercito, como também o trecho ao sul da Guatemala, até a capital, para o norte até Huehuetenango não tem nada. Depois tem, mas não me pararam.

A saída da Guatemala é bem rápida. A entrada no México é tranquila, mas a aduana demora mesmo assim. Tem que fazer um depósito ou quitar com tarjeta 400 dólares, e pagar mais 48 Dólares de imposto. Você pode ficar o tempo que quiser, mas se passar um dia disso os 400 dólares ficam para o México. E se você fica mais que sete dias, paga para sair do país 20 dólares por pessoa. Para não pagar isso, declarei ficar só 5 dias, então tenho que sair até o dia 22/08 com a moto para não perder 400 dólares. Tudo bem até aqui, é o meu plano de viagem mesmo.

Pude comprovar que para entrar no México basta o visto americano. Tinha um pouco de medo disso, porque se não conseguisse entrar, também não poderia voltar com a moto a Guatemala, pois há um prazo de 90 dias em que não se pode reingressar. Ficaria num vácuo total. Aliás, em vários países da América Central fui avisado desse prazo. Como então alguns motociclistas já fizeram viagem até o Alaska e voltaram logo em seguida pelos mesmos países? Será que as regras mudaram, ou essas viagens duraram uns 200 dias (?!). Pergunta para o Gugu.

No México se segue pela Panamericana que aqui é a MEX 190. Antes de Textlan, uns 100 km, toma-se a direita para San Cristobal de Las Casas, e dai pela MEX 199 ou 186 (é a mesma coisa) se vai por asfalto ruim e muitas curvas, infinitas lombadas, até Palenque. Daqui devo seguir para Vila Hermosa para alcançar a MEX 180 e seguir para Tampico ao norte.

No México o exercito me parou e revistou a bagagem, e logo em seguida a Marinha (!!!), também revistou. Faltou só a Aeronáutica! Me disseram depois que o governo não confia tanto no exercito, que já estava com esquemas na fronteira, então colocou a Armada também para verificar o serviço.

De Antigua para a fronteira com o México são 300 km e daí para Palenque quase 400 km. O ultimo trecho de 200 km demorou 4 horas. As lombadas e a chuva foram a causa. As lombadas aqui se chamam Topes. No Peru rompe muelles, e na Guatemala túmulos. E há placas assim: zona de tumulos. Era mais fácil escrever cemitério. Ehehe (essa foi sem graça...)

Antigua é muito legal. Conheci um vulcão ativo, o Pacaya, saindo fumaça quente da terra, incrível. E Palenque tem as ruínas maias, muito legal também. Cidade fraquinha.

Estou com 12.700 km, 27º dia de viagem. Na moto, o 12V nao funciona desde o primeiro hotel em Puerto Maldonado, pois mexeram em todos os botões, e deve ter queimado. Já troquei o fusível e nada. Estragou a peça mesmo. Então não dá pra usar a bomba de ar que o Alysson me emprestou. Pena. Mas também usando bem a moto não tem diminuído a pressão. O óleo da embreagem não vazou, mas sujou bem. O pistão embaixo acho que esta colhendo a sujeira da relação. Freio traseiro bem gasto. Marcha lenta preciso apertar de vez em quando. Em paradas súbitas em lombadas o motor morre. Acho que o filtro de ar deve estar muito sujo (assunto para o Gerson!).

Amigos, um abraço a todos.

E lembrem-se: nunca perguntem onde fica tal lugar para uma mulher!

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia