Rumo ao Alaska: sim, a aventura continuou. Era junho, sexta-feira, e minha viagem de volta a Toronto, por avião, se iniciaria no dia seguinte, logo à 1h25min da madrugada do sábado. Dureza! Esse vôo foi escolhido por ser bem mais barato, mas além do horário ingrato,

Os meses que antecederam essa nova estada em Toronto, entre agosto de 2012 e junho de 2013, foram em boa parte de júbilo pela meta alcançada na etapa anterior. De Sorocaba a Toronto, sozinho de moto, por doze países e mais de 18.000 km,

De todo modo, após a virada de ano, era hora de recomeçar a planejar concretamente e tomar providências, ou então desistir. Será? Já estava cansado da viagem, isto porque ela não saiu de mim esses meses todos, ficava rodando na minha cabeça involuntariamente,

Foi emocionante reencontrar a família em Toronto. Em 2012, acompanhei minha sobrinha Sofia, então recém-nascida, necessitando de uma importante cirurgia cardíaca. Era alarmante ver a dificuldade com que respirava. Não ganhava peso. Era grave a situação.

Assim cheguei em Sault Ste. Marie, que se pronuncia "Su San Merry", uma cidade canadense bem próxima da fronteira com os Estados Unidos, com 75.000 habitantes, uma calma, uma ordem absoluta. Cheguei até cedo, umas oito da noite (ou dia) local. Tudo fechado, mas ainda com luz do sol.

A jornada deste segundo dia de estradas canadenses era de 927 km. Levantei cedo. No café do hotel, aquelas máquinas que deixam a gente constrangido de mexer. Você quer apenas umas salsichas quentes, mas deve abrir um compartimento na parte de cima de uma maquineta,

Acordei cedo, imagina se não. Não havia café da manhã no hotel, o que não chegava a ser uma coisa ruim. Composto novamente para a estrada, encontrei o Steve já junto à sua Super Ténéré, malas prontas, de partida. Nós nos despedimos, eu dei a ele uns adesivos de bandeirinhas do Brasil,

O motociclismo é uma atividade que tem nas viagens de longa distância um de seus pontos de maior significado. Existem outros: técnica de pilotagem, consciência dos limites, espírito de liberdade, índole gregária, rebeldia contra valores antigos e sonolentos, etc...

Dessa vez eu tinha comprado um relógio de pulso, contrariando totalmente o que o Wyatt, personagem do Peter Fonda em Easy Rider, faz logo no início da jornada deles para o leste dos EUA, de Los Angeles a New Orleans. É legal essa cena.

O dia de hoje trazia uma novidade, que era o rumo norte, depois de tantos dias rodando a oeste. Sinal que eu começava a atingir um ponto crucial na viagem. Saí não muito cedo, após o café da manhã no hotel, que não dava pra recusar.

Pagina 4 de 5
Ver mais artigos

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia