Cobiçada pela fartura de sua pedras preciosas durante o século XIX, hoje a Chapada Diamantina é exaltada por ter riquezas muito além dos diamantes. É terra de patrimônios naturais inigualáveis e de rica história e cultura, como as heranças do garimpo, a arquitetura histórica das cidades, a culinária sertaneja e suas diversas tradições.

A Chapada Diamantina localiza-se no coração da Bahia e resguarda em seu território cachoeiras, serras, cânions, grutas em área de 152mil hectares. Ibicoara está a 1,7 mil metros de altitude e possui um grande potencial para atividades de aventura, com muitas montanhas e cânions em seu entorno.

O passeio ao local exige a contratação de guia e para quem pretende ir de moto, são 28 km em estrada de chão bem prejudicada. Chegando ao parque, paga-se ingresso na portaria e segue-se mais um trecho que inclui a travessia de um riacho, onde na época de cheia passam somente veículos tracionados nas 4 rodas.

No dia seguinte partimos com nossas motos em direção a Mucugê, que é uma linda cidadezinha na ponta sul do parque, onde foram descobertos os primeiros diamantes da Chapada Diamantina em 1844.

Na manhã seguinte o Ailton nos buscou às 9h30 e distribuímos o grupo em sua Land Rover e na Pajero de Magali. Seguimos em direção a localidade de Itaetê, pequena localidade onde fica localizado o Poço Encantado.

Depois seguimos por uma estrada de terra por 25 km em direção ao município de Redenção, onde fica o Poço Azul. No caminho, existe uma casa abandonada que foi morada de Lampião e seus jagunços durante sua perambulação pelo sertão baiano.

Saímos à tardinha e ainda teríamos o passeio até Igatu. Xique-Xique de Igatu é um vilarejo perdido da Chapada. Um caminho de pedras, resquício da Estrada Real que ligava a Chapada Diamantina a Ouro Preto, nos leva à mais fotogênica cidadezinha do circuito. Seus muros e casas de pedra, lhe renderam o apelido de “Machu Picchu da Chapada”.

Chegamos a Lençóis na hora do almoço. Deixamos nossas bagagens e as motos na Pousada (Bosque do Lapão) e seguimos em direção ao Centro da cidade para almoçar.

O principal cartão postal de Lençóis é o Morro do Pai Inácio. Localizado na BR 242, a 30km do Centro de Lençóis, possui 1120m de altitude e descortina a mais bela vista panorâmica da Chapada Diamantina.

No quarto dia em Lençóis, saímos para uma trilha nas proximidades da cidade. Era o nosso último dia e decidimos fazer um passeio mais leve. Cruzamos a cidade e seguimos em direção à Praia do Serrano.

Pagina 1 de 2
Ver mais artigos

Mais viagens pelo Brasil

Chapada Diamantina com uma Intruder 125

Me chamo Joel Domingos, minha magrela é a Suzuki Intruder 125 e foi nela que eu e minha esposa...

De Terezina a Salvador de FZ6 S

Acabo de adquirir uma Yamaha FZ6 S, azul, ano 2009, com apenas 14 mil kms rodados. Estou...

Parque Estadual do Ibitipoca

Deus reservou aos pássaros as asas, que os permitem voar e alcançar as alturas. Aos homens foi...