Viagem de moto pela Europa

Depois de uma noite agitada (cheguei do Motoclube do Porto às 2 da manhã), acordei às 8 horas, banho, café e moto na estrada. O “tirinho” a Fátima seria relativamente curto (uns 200 km) e eu chegaria inteiro.

Só que eu não contava com o cretino do GPS me sacaneando o tempo todo. Cheguei a pensar que o mapa estivesse desatualizado, mas entrei no site do fabricante e é a última versão. Imaginem a penúltima! O infeliz não sabia onde era a cidade de Ourém, Fátima, Batalha ou qualquer outra que não fosse Porto. Ficou apaixonado pelo Porto o desinfeliz do Tomtom Macoute. O pior é que em alguns momentos ele identificava Fátima e traçava uma rota, caí na asneira de tentar obedecer as indicações e o cretino me mandou para uma estradas de terra, verdadeiras trilhas! Acabei por ignora-lo completamente e consegui chegar a Fátima utilizando o mapa Michelin que sempre levo.

Fátima é um lugar indescritível. Claro que existe uma grande exploração comercial, mas o lado espiritual é muito mais forte. Cada um enxerga, sente e usufrui de acordo com sua própria interpretação, respeitadas as interpretações alheias. Cansei-me de ver verdades ontem inquestionáveis, hoje virarem motivo de galhofa. De ver a ciência, tantas vezes invocada, outras tantas desmentidas tempos depois.

Quando lembro dos maiores luminares da medicina, em épocas passadas, fazendo transfusões usando sangue de cavalos, não posso deixar de compara-los com a arrogância e a empáfia dos luminares de hoje que se querem sabedores dos momentos em que começa e deve terminar a vida, entre outras estultices (essa foi para tirar Camões do ostracismo). Bando de presepeiros, piores mil vezes que velhos metidos a motociclista.

Bem, mas isso é papo de leigo. Afinal fui à Fátima prestar meu tributo, agradecer e pedir um pouco de paz e compreensão neste nosso planeta. Não pude entrar no Santuário que está em obras. A imagem de Fátima foi colocada numa espécie de capela improvisada na enorme praça entre a nova e moderna Igreja da Santíssima Trindade e o Santuário de Fátima.

Fiquei em um hotel excelente por 30 Euros (com um café da manhã sensacional) e um restaurante onde jantei, polvo à lagareira com vinho - Sangue de Boi, lógico, por 14 Euros.