Mendoza é a província responsável pela produção de 70% dos vinhos argentinos. Bodegas tradicionais e centenárias, umas mais artesanais e outras mais avançadas tecnologicamente, exportam 20% da produção e distribuem o restante para consumo interno, com bebida de ótima qualidade.

Partimos cedo. Logo o tempo começou a escurecer e fortes ventos dificultaram bastante nossa viagem. Paramos em uma estación de servicio para abastecimento e uns policiais informaram que em San Luiz estava se formando uma intensa tempestade.

Por volta do meio dia, após a troca da relação, finalmente seguimos viagem com calor intenso e muitos cruzamentos, reduzindo bastante o ritmo. Numa dessas localidades, ao parar para abastecer, conhecemos o Ernesto Renon.

Lembrando que a região norte da Argentina é famosa pela extorsão de policiais aos motoristas e motociclistas que por lá circulam, nesse dia fomos parados em diversas barreiras policiais, porém a surpresa de ter duas mulheres no grupo, pilotando, numa viagem tão longa, criou uma espécie de salvo conduto.

Nesse dia tiramos para lazer na Playa de Soró, próximo à represa de Yacreta, localizada no Rio Paraná, onde do outro lado ficava o Paraguai. Tinha um bar ao lado do rio com diversos cartazes de encontros de moto no Local.

De manhã, chegamos cedo a Posadas. Ali, fronteira entre Posadas (Argentina) e Encarnacion (Paraguai), optamos por seguir em direção ao Paraguai. As meninas estavam com muito receio em virtude das histórias sobre o risco paraguaio, porém ganharíamos tempo nesse trecho.

Marcos Pires partiu mais cedo com o motorista do caminhão e combinamos de, ao chegar ao Rio, entrar em contato telefônico para ver se a Autokraft daria solução rápida e seguiríamos viagem juntos. Não teve jeito e seguimos viagem.

Pagina 3 de 3
Ver mais artigos