A Amazônia é uma região que sempre me despertou muita curiosidade e, depois que comecei a realizar viagens de moto, decidi que iria conhecer a região. Após ler vários relatos de viagens pela Amazônia, comecei a planejar uma viagem pelas estradas de terra das rodovias Transamazônica e BR 319, a Rodovia Fantasma, que liga Porto velho a Manaus.

Depois de oito meses de muita ansiedade e preparação, finalmente o dia de iniciar nossa viagem de moto havia chegado. Eu e o Amerizon moramos em Goiânia e o Adriano em Brasília, então combinamos de nos encontrar em Uruaçu, Goiás, a 300 km de Goiânia na quinta feira, dia 7 de setembro.

Levantamos às cinco e às seis horas já estávamos no local combinado, onde encontramos o Adriano. Calibramos os pneus das motos e pegamos a BR-153 com destino a Colinas do Tocantins, onde iríamos pernoitar.

Levantamos bem cedo e voltamos à Transamazônica, que alternava longos trechos de asfalto com pequenos trechos de terra. Paramos para o café da manhã em uma simples lanchonete na beira da estrada, onde comi dois pasteis fritos e tomamos um açaí à moda paraense. Totalmente diferente do que temos em Goiás.

O galo começou a cantar as 5 da manhã e logo estávamos na Transamazônica com nossas motos. O Adriano estava na frente, o Amerizon no meio e eu atrás, bem próximos um do outro. As poacas começaram a dar o ar da graça. Logo na primeira grande poaca, subiu muita poeira que tirou a visibilidade quase que totalmente.

Levantamos bem cedo, tomamos um café da manhã muito simples e seguimos para Apuí onde paramos para abastecer. De lá seguimos viagem até o Rio Aripuanã para pegar a balsa. A balsa principal ia demorar muito a nos buscar, mas veio um sujeito numa balsa minúscula.

Programei errado meu despertador e ele despertou às quatro da manhã. Levantei e fui arrumar a bagagem na moto. Saímos cedo e fomos a um posto para abastecer, onde batemos um papo com uns integrantes da PM amazonense (nosso amigo Divino Jr. que ia gostar, ele é vidrado em militares).

Acordamos cedo e fomos procurar uma concessionária Yamaha para fazer a revisão nas motos. Elas estavam precisando. Com muita dificuldade e com a ajuda de um moto taxi que contratamos para nos levar lá encontramos o lugar onde Trocamos óleo, filtros e arrumamos as peças quebradas.

Pagina 1 de 2
Ver mais artigos

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia