Viagem de moto Serras do Sul do Brasil

Deixei a moto toda montada e pronta na noite anterior pra evitar atrasos. Sai de casa às 4 horas da manhã do dia 15 de junho. Conhecia bem a estrada até a cidade de Palmeira das Missões.

Nesse trajeto eu pude rodar com um pouco mais de vontade, tanto que no primeiro abastecimento vi que a empolgação iria me judiar no bolso. Abasteci e a vermelhona fez a pior média da viagem, 22 km / litro. Após esses sustinho, fui igual tiozinho, média de 100/110 km/h.

Passei pelas cidades de Passo Fundo, Lagoa Vermelha, Vacaria e Lages. O asfalto estava que nem um tapete, a moto rendia superbem e a média subiu. Quando abasteci em Lagoa Vermelha a média subiu para 31 km / litro. Motocando de boa ela rende essa quilometragem tranquilamente.

Após passar Lages, quase chegando a Urubici, peguei uma estradinha com aproximadamente 30 km de terra, um areão branco que modificou a cor da moto. Como já é do conhecimento de todos, a CB é tão macia quanto pular no concreto. Lá estava eu, com 23 anos e uma dor nas costas que nem minha mãe deve ter.

O cenário ímpar dessa estrada me fazia vibrar dentro do capacete. Eu estava vendo, tocando e cheirando o que tinha visto nos vídeos. Difícil de tu controlar a emoção nessa situação.

Antes de chegar de fato a Urubici com minha moto fiz o primeiro turismo: conheci o Morro do Campestre, um lugar incrivelmente lindo, de onde se tem uma baita vista para o vale. O passeio foi relativamente rápido e às 14 horas já estava com o check-in feito e as muambas espalhadas pelo quarto do Moto Garagem de Urubici. Esse hotel é a principal hospedagem nas viagens de moto pela serra catarinense, pois você pode ficar com a moto dentro do quarto.

Após uma breve esticada no esqueleto, subi na motoca e fui em direção ao Parque Cascata do Avencal. Visitei os dois lados da cascata, fiz tirolesa e aproveitei bem a infraestrutura. Após esse passeio voltei para a cidade e fui jantar no posto Serra Azul. Esse posto é temático, as comidas tem nomes de carros e o caixa é um Ford Falcon. Foi aqui a primeira ceva da viagem inteira, hehe.