Viagem de moto Serras do Sul do Brasil

Saí por volta das 9 horas do Moto Garagem, que diga-se de passagem, fui super bem recebido e certamente voltarei muitas vezes mais. Fui em direção a Cambará do Sul, meu próximo destino. Na saída de Urubici parei para tirar uma foto incrível do céu limpo e a cidade abaixo, encoberta por uma nevoa. Imagem marcante.

Escolhi o trajeto mais longo, primeiro para evitar o off road devido a CB ser dura e segundo que o trajeto que escolhi passaria em um cenário que já tinha visto em vídeos. Desci novamente a Serra do Rio do Rastro, mas dessa vez com uma companhia especial, o Cesar, um Méxicano que está a quase dois anos rodando as américas com uma Fazer 150. Descemos juntos, em seguida ele voltou para subir e eu segui a viagem em direção a torres. Em torres sai da BR–101 e segui pela RS–453 conhecida como Rota do Sol, subindo a Serra do Pinto passando por tuneis e viadutos com vista para o vale.

Cheguei ao mirante da serra, onde tirei inúmeras fotos e fiz alguns vídeos. Aproveitei e comprei uma lembrança para a patroa que não pôde viajar comigo. Após esse tempo de descanso, segui mais alguns quilômetros até chegar a Cambará do Sul. Cheguei e fui reto para o hostel Cape Town onde fiquei por dois dias. Como estava cansado, resolvi tirar esse tempo de fim de tarde para lavar as roupas e também por em dias as fotos e vídeos.

À noite fui jantar na Máquina do Tempo Pub, um bar temático dos anos 80, com cerveja artesanal e comida muito boa. Após a janta e os papos, voltei para o hostel.