Nossa aventura começou a ser planejada a dois anos atrás. Com sonhos de viajar pela Europa, eu (Gomide) e minha esposa (Lena), unindo a experiência de pilotar por belas estradas e conhecer um pouco da história, resolvemos montar um roteiro.

Em Barcelona, ficamos hospedados em La Boqueria, nas Ramblas. Rambla em Catalão designa uma via aberta num local ocupado anteriormente por um canal, e é o nome da avenida principal de quase todas as cidades Catalãs.

Pegamos um vôo de Barcelona para Roma e chegamos no meio da tarde. No hotel, recebemos indicação de uma Cantina tradicional italiana. Jantamos frutos do mar, risotos, filletos e após muitas garrafas de vinho e copos de cerveja, saímos caminhando em direção ao Coliseo.

Partimos cedo, pois teríamos 400 km a rodar neste dia. Optamos por sair por Ravello e não havia escolha melhor a ser feita. Ravello tem 8 km de subida com curvas alucinantes, com paisagens de vários presépios montados em buracos na rocha, e pequenas vilas encravadas nas montanhas, tendo ao lado esquerdo montanhas e ao lado direito a imensidão do Mar Tirreno (Mediterrâneo).

Dia seguinte, estávamos em Florença. ficamos hospedados no hotel A C FIRENZE e, mais uma vez, fomos recepcionados por brasileiros. Trabalhavam no hotel a carioca Gisele e o paulista Santana, já radicados há alguns anos na Itália.

Roma era nosso novo caminho. Entregaríamos as motos e teríamos mais um dia livre para conhecer um pouco mais essa histórica capital. Deixamos as motos na CIMT e levamos as malas para o Hotel (ficaram guardadas na empresa de locação das motos durante a viagem). No almoço, reconheci no restaurante do hotel o Xará, antigo companheiro de peladas, que estava com Heloísa (sua esposa), Luiz Porto (cunhado) e sua esposa. Ele recomendou que a noite não deixássemos de conhecer o Trastevere.

Pagina 1 de 2
Ver mais artigos