Viagem de moto pelo Himalaia

Seguimos para a estrada cedo. A paisagem estava embaçada, como se tivesse uma névoa seca cobrindo tudo ao redor. As estradas eram boas, mas o grande movimento fazia com que os quilômetros fossem percorridos com muita lentidão.

Eu ainda levava um galão de gasolina com cinco litros reserva, o que me dava tranquilidade para procurar os postos com melhor aparência. O tanque entrou na reserva, eu girei a chave, mas ao passar por um posto resolvi seguir em frente. Poucos quilômetros depois acabou a gasolina em uma subida leve. O sol estava de rachar e eu resolvi empurrar a moto até uma sombra mais à frente. Quase morri.

Depois de abastecer a moto com a gasolina do galão, seguimos viagem até a entrada de Nova Délhi. Havíamos combinado com nosso amigo Ankur que ele nos esperaria antes da cidade para nos guiar até o hotel, mas não o encontramos. Seguimos em frente e entramos na cidade. O trânsito estava infernal e o calor era tão forte que até os calangos estavam escondidos nas sombras.

Achamos que iríamos passar mal, então paramos debaixo de uma árvore e esperamos um tempo até nosso corpo refrescar um pouco. Enquanto isto, tirei várias fotos das pessoas que passavam pelo local. O Rafael mandou uma mensagem para o Ankur informando onde estávamos, e ele foi até lá nos encontrar. Seguimos até o hotel e finalmente pudemos descansar.

Nesse dia foram pouco mais de 300 km percorridos, mas apesar das estradas boas, foi tão ou mais difícil que os dias anteriores, principalmente por causa da temperatura extremamente elevada e por causa do trânsito que enfrentamos em Nova Délhi.

Nos dias seguintes fizemos os roteiros turísticos tradicionais por Nova Délhi e Agra, onde percorremos as ruas da Main Bazar, da Old Délhi, Red Fort, Humayan Tomb, Agra Fort e Taj Mahal. Apesar do calor intenso, os passeios foram incríveis.

E assim encerramos nossa viagem pela Índia e pelo Himalaia. Passamos por muitas dificuldades, conhecemos muitas pessoas de várias partes do mundo e uma cultura completamente diferente da que estamos acostumados. Foi a viagem mais intensa que fizemos, até a próxima.