Viagem de moto por Minas Gerais

Saudações. No dia 16 de setembro, uma quarta-feira, às 7h da manhã, meu sobrinho Victor e eu saímos sem pressa de Pará de Minas em duas motos Honda Bros 150 com destino a Milho Verde, Serro e Lapinha da Serra em Minas Gerais.

Passamos por São José da Varginha, Pequi, Cachoeira da Prata, Inhaúma, percorremos um pouco da BR-040 e chegamos a Cordisburgo, onde fizemos um pouco de turismo e fotos no zoológico de Pedras, onde o Stamar, um artista local, esculpiu com cimento animais encontrados em um sitio arqueológico.

De Cordisburgo seguimos para Curvelo onde visitamos a Basílica de São Geraldo e o Centro Geográfico de Minas Gerais.

Seguimos depois para o distrito de Milho Verde pela BR-259, passando por Gouveia e Datas até Pedro Lessa, num trajeto de 137 km. Aqui neste ponto tem um “desvio” de 12 km por terra, que sai diretamente em Milho Verde. Saindo deste desvio principal e rodando apenas 3 km, visitamos uma comunidade chamada Baú onde é produzido artesanato e derivados do mel extraído de colmeias instaladas dentro da mata.

Após a visita voltamos para este atalho e seguimos viagem. É interessante que, para chegar a Milho Verde, tem que atravessar o leito do rio Jequitinhonha. Não tem ponte e neste ponto da travessia ele não tem mais que 12 metros de largura.

Viagem de moto Minas Gerais

Chegamos a Milho Verde às 16h. E com uma grande contrariedade: em toda a região do Serro, devido às restrições impostas pela pandemia do Covid-19, as autoridades de saúde liberaram apenas alimentação nos restaurantes e bares, mas não liberaram pousadas e áreas de camping e nem permitiam fazer visitas às cachoeiras e pontos turísticos. Estava tudo interditado!!! Conseguimos que um morador local nos emprestasse uma parte da varanda da sua casa onde tomamos banho e armamos as barracas.

Na quinta-feira pela manhã visitamos apenas duas cachoeiras: Carijó e Canela, Foram visitas rápidas, apenas para fotos.

Paramos em Serro para fotos e para tomar um delicioso café, claro, com queijo tradicional do Serro.

Viagem de moto Minas Gerais

De Serro seguimos para Conceição do Mato Dentro. Tem um trecho de 25 km de terra com muitas maquinas e trabalhadores. O pessoal da região sonha que agora o trecho seja realmente asfaltado. Há dois anos, em 2018, passei por lá e falavam que o serviço de asfaltamento sairia breve. Neste trecho (de terra) a corrente de transmissão de minha moto soltou. Nada sério, mas tivemos que desmontar e destravar a corrente, colocar de volta e ajustar. Já na cidade, procuramos um mecânico para um ajuste mais profissional. Almoçamos e seguimos 22 km por estrada de terra até o Parque Estadual Serra do Espinhaço, para visitar a Cachoeira do Tabuleiro, a mais alta de Minas Gerais e a terceira maior do Brasil. Também estava interditada. Nem fotos foi possível tirar para registrar.

De lá seguimos pela Serra do Cipó com destino a Lapinha da Serra, no município de Santana do Riacho, onde chegamos bem à tardinha e encontramos a mesma situação: bares e restaurantes podiam funcionar, porém pousadas, camping, o parque e demais pontos para visitação estavam fechados!

Viagem de moto Minas Gerais

No camping Bromélias, o proprietário estava com 2 cabanas disponíveis e homologadas pela prefeitura. Nossa sorte! Alugamos uma onde foi possível tomar banho, comer e dormir.

Na sexta-feira, como não poderíamos visitar o parque, pegamos o caminho de volta para casa.

No retorno, após a cidade de Cachoeira da Prata, sentido Maravilhas, após a ponte sobre o rio Paraopeba, tem uma indicação para o distrito de Soledade com 14 km de estrada de terra. Fizemos este trajeto que sai a 8 km da cidade São José da Varginha, reduz o percurso entre Cachoeira da Prata e Pará de Minas em 30 km. Fizemos este trajeto mais para conhecimento.

Total percorrido de 16 a 19 de setembro: 827 km na minha Bros 150 2013/14

José Pereira
Lobo Solitário Moto grupo
Pará de Minas (MG)