Viagem de moto até o Deserto do Atacama

Em janeiro de 2017 fizemos uma viagem de moto até o Deserto do Atacama, no Chile, pilotando uma Yamaha Ténéré 250. Foram 18 dias de aventura, rodando sobre asfalto, rípio e neve. Cruzamos a Cordilheira dos Andes e o Deserto de Atacama, vimos gêiseres, lhamas, pelicanos, flamingos, vulcões, salares, oásis e cactos gigantes e chegamos à costa do Oceano Pacífico.

Valeu toda a preparação e espera para fazer a viagem.

Nosso grupo era formado por cinco pessoas viajando em 3 motos com as quais percorremos um total de 6.000 km.

Moto e equipamentos

Não é necessário ter uma bigtrail para ir ao Atacama, tampouco precisa ser um grande piloto. Eu usei na viagem uma Yamaha Ténéré 250, com garupa, equipada com baú traseiro de 45 litros, baús laterais de 24 litros, almofadas de gel, bolsa de tanque, GPS, protetor de carenagem e cavalete bilateral. Os amigos que me acompanharam foram em uma Honda Transalp e uma Suzuki V-Strom.

Sobre Combustível

Um dos nossos receios era ficar sem combustível em alguma parte da Argentina, inclusive levamos um galão de 5 litros, porém, ao contrario do que imaginávamos, em todo o trajeto encontramos postos de combustível. Alguns tinham filas para abastecer, mas em momento algum o intervalo entre os postos era maior que a autonomia das motos. No site www.ypf.com é possível encontrar um mapa com locais para abastecimento.

Relato de Viagem de Moto