Viagem de moto Deserto do Atacama

Estávamos sem programa para a manhã do dia seguinte. Olhando o Vulcão Licancabur, que parecia tão perto, chamei os companheiros para ir lá dar um passeio. O Douglas não animou, então fomos nós três. Ele parecia perto, mas estava a 48 km. Saímos de 2.500 para mais de 4.400 metros de altitude. Estava frio, mas a vista do topo nevado do vulcão foi incrível.

Viagem de moto Deserto do Atacama
Vulcão Licancabur, visto de São Pedro do Atacama. Parecia tão próximo...

Viagem de moto Deserto do Atacama
Mas estava a quase 50 km

À tarde fomos visitar a Laguna Cejar. Ela é uma lagoa na qual não se afunda devido à concentração de sal na água, maior que a do Mar Morto. Mas segundo a guia, tem aproximadamente 3.000 metros de profundidade.

Viagem de moto Deserto do Atacama
Segundo a guia, nesse local foram encontradas as bactérias mais antigas da terra.

Olhando para o lado de San Pedro de Atacama, vimos muitas nuvens escuras, mas a chuva não nos atingiu. A guia informou também que lá chove no máximo três dias por ano e esse deveria ser um deles.

Após um lanche oferecido pela agência, voltamos para San Pedro, que estava com muita enxurrada e lama pelas ruas. Tínhamos outros passeios interessantes para fazer, como os Gêiseres e o Vale da Lua, mas devido ao nosso tempo estar se exaurindo, fomos jantar e dormir mais cedo, pois a aventura continuava no dia seguinte.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia