Viagem de moto até o Chile – Deserto do Atacama

Eu acordei um pouco mais cedo e, como bom apaixonado por Harley, fui dar uma geral na moto. A temperatura estava em 6 graus em Foz. Tomamos um excelente café da manhã no hotel, que é muito bom. A impressão que deu foi que ele deve ter reinado na cidade a uns 40 anos atrás. Antigo, mas mantém a majestade com um bom preço.

Negociamos um táxi para nos levar ao Paraguai. A diferença de preço e absurda. Chega a 50%. Acabamos pegando o táxi no quarteirão ao lado do hotel. Conhecemos um taxista que nos cobrou 80 reais para nos levar e trazer. O Max conhecia bem o lugar. Nos deu as dicas todas e acertou bem.

O negocio lá é muito doido. Eu e o Alberto nunca tínhamos ido. O luxo das lojas convive com a loucura, desorganização e perigo da rua no mesmo quarteirão. Os preços não pareciam bons. Todos queriam agradar as esposas, filhas e filhos e andamos muito. Os preços variam 50% no mesmo quarteirão. Coisa de louco. Comprei uma câmera do tipo Go Pro para filmar a viagem a partir de agora. Aguardem....

O nosso taxista é muito interessante. O nome dele é Waldivo. Brasileiro que morou no Paraguai por quase 15 anos. O famoso brasilguaio. Nos ajudou a conseguir um câmbio muito bom. Compramos peso a 21 centavos enquanto em SP estava 40 centavos e não obteve comissão nisso.

Ao voltar ao hotel em Foz do Iguaçu ele brigou com um taxista paraguaio por "roubo" de vaga. Ele sofreu muito no Paraguai como brasilguaio. Foi empresário e esteve entre a vida é a morte em um roubo, quando sua família ficou refém. Conhecemos a vida dos nossos compatriotas no Paraguai. Somos empreendedores lá dado que naquele país não tem burocracia. Mas somos invejados pela evolução. Um sinal de esperança. Somos bons. Falta pouco... Fica a reflexão.

Viagem de moto até o Chile – Deserto do Atacama

Pegamos as motos e fomos em direção à Argentina. O trâmite foi tranquilo e encontramos outros motocicletas em viagem para o mesmo destino que nós, o Deserto do Atacama. Tocamos para Posadas, que fica a 310 km de Foz.

Estradas excelentes, e pasmem, os argentinos são educados. Paisagem muito agradável, gasolina boa, motos rendendo muito mais e pessoas atenciosas. A Argentina nos espantou positivamente.

As notícias hoje animaram o grupo. O Alberto estava muito orgulhoso da filha, após saber de uma nota 10 de uma difícil matéria de medicina. Nem sei falar o nome. Mas ele sabia. Parece até que manjava mais que a futura filha médica, kkkk.

Já em Posadas, pegamos um hotel central com garagem e café da manhã por 40 reais por pessoa. Melhor e muito mais barato que os até agora.

Comemos uma parrilla argentina excelente. Conhecemos o Jorge, um garçom uruguaio que nos atendeu muito bem. Tomamos uns vinhos a mais e a conversa evoluiu... Vejam fotos. Amanhã iremos para Presidente Roque Saenz Peña.

Viagem de moto até o Chile – Deserto do Atacama