Viagem de moto até o Chile – Deserto do Atacama

Este foi o primeiro dia da viagem sem rodarmos com nossas motos. Estávamos muito cansados da travessia da Cordilheira. Pela manhã, fizemos câmbio para o peso chileno. Aceitavam tanto dólares quanto reais na troca, sem muita diferença. Nos chamou a atenção não haver quaisquer seguranças nas casas de câmbio que, aliás, também comercializavam artesanato local. Muitas coisas em cobre e roupas típicas.

A cidade é uma espécie de São tome das Letras internacional. Muitos estrangeiros e jovens de mochila pelas ruas.

Decidimos andar pela cidade na parte da manhã. Fomos à famosa igreja, cartão postal de San Pedro de Atacama. É incrível a vista do vulcão Lincacambur, que pode ser visto de qualquer lugar da cidade. É o símbolo dos PHDs do Gelo.

Comemos uns petiscos e tomamos umas cervejas locais. Às 15 horas, embarcamos em um tour para o vale da Lua e Vale da morte. São magníficos, vejam as fotos. Elas falam por si só.

À noite fomos ao Barros que é uma espécie de taverna e tomamos vinho, sopa e comemos um macarrão.

A temperatura está agradável. Amanhã vamos aos Geiseres. Será nosso último passeio em San Pedro.

As motos, por enquanto, só no descanso!