Viagem de moto pelo Chile

Pessoal, como era de esperar, na revenda Yamanha não tinha o tal pneu. O pior, eles não deram a mínima atenção para resolver meu problema, mesmo eu dizendo que estava viajando a caminho do Brasil e que tinha pouco tempo para chegar em casa. Maldita Yamaha, estou desesperadamente odiando esta marca.

Claro, quando alguém está jogado as traças por inteira irresponsabilidade de um fabricante, temos que nos virar. Fui a procura do tal pneu, andei em 110% das revendas de pneus da cidade e ninguém tinha. Decidi então colocar um pneu de carro na Midnight, um 195/65 r16.

Quando estava negociando com o vendedor, um senhor de terceira idade, muito atencioso, me perguntou para qual carro seria o pneu. Disse, não é para carro e sim para minha moto, pois não achei pneu para ela na cidade.

Esse senhor então me disse: conheço um sujeito que vende tudo, pneus, ferramentas, bugigangas, moto velha, moto nova, motor de popa, barco, rede de pesca, ferro velho, prego, madeira, material de construção, quadriciclo, mas fica no subúrbio. Não contei conversa, peguei o endereço, um táxi e fui até lá. Chegando, falei com o polivalente, ele começou a derrubar as tralhas atrás do tal pneu. Depois de uma hora revirando tudo não é que o danado achou um? Só que a medida é um pouco diferente (160/80 r16 – o original é 170/70 r16). Não tive dúvidas, comprei o danado ($90.000.00 pesos chilenos – algo como R$400,00).

Se vocês estão curiosos porque odeio tanto a Yamaha, agora vão me dar razão. Ao chegar na amaldiçoada fabricante (revenda), me disseram que não podiam trocar o pneu porque ele não era original, tinha que procurar outro lugar. Detalhe, minha moto já estava toda desmontada fazendo a revisão, inclusive com as rodas retiradas, no chão. Fiquei puto da vida, mandei todo mundo para puta que pariu (minha mulher tentou me acalmar, mas sacaneei com ela também). Disse que ia pegar a roda da moto para levar a uma borracharia para fazer a troca, quando apareceu o recepcionista dizendo que iria falar com o Gerente para ver se era possível eles trocarem o pneu.

Depois de 15 minutos ele voltou dizendo que fariam a troca, mas só me entregariam a moto às 6 da tarde (estava combinado para 12 horas). Nesse caso, muito puto ainda disse, vou pegar o pneu e fazer a troca na borracharia, trago a roda montada e quero minha moto às 12 horas como combinado. Dei mais uma sacaneada e me prometeram entregar a moto com o pneu montado às 12. Nesse momento que voz escrevo são 10h50min e estou indo para lá. Vou constatar se o serviço está sendo feito dentro do prazo.

Pois é meus amigos, YAMAHA NUNCA MAIS, essa empresa é amaldiçoada na América do Sul. O câncer que eu imaginava que só estava no Brasil, na verdade está espalhado por toda a América Latina. Não acredito que os japoneses saibam disso, se sabem é porque estão admitindo a surra que estão levando da Honda e outros fabricantes, como BMW, Harley Davidson e até mesmo as motos Ching Ling (existem centenas de milhares nesses países).

Já mencionei várias vezes nesse diário, esta linda Midnight Star, será minha última moto da Yamaha.

Até amanhã

Temuco – Revisão da moto – Troca do Pneu traseiro

Combustível: R$ ,00
Alimentação: R$ 80,00
Hospedagem: R$ 110,00
Manutenção: R$ 800,00 + R$ 400,00 do pneu
Diversos: R$,00 (pedágio)
Total: R$ 1.390,00

Comentários (8)

This comment was minimized by the moderator on the site

Sou apaixonado pela MID, é uma linda moto. Mas depois de tudo isso que estou acompanhando você passar, vou me apaixonar por outra moto!

This comment was minimized by the moderator on the site

Sou apaixonado pela MID, é uma linda moto. Mas depois de tudo isso que estou acompanhando você passar, vou me apaixonar por outra moto!
Pois é Mário, a MId é uma execelente moto, não me deu nenhum problema até agora. E olha que ela está carregada. O problema é a Yamaha.

This comment was minimized by the moderator on the site

Homi, fico imaginando você soltando o espanhol no chilenos, o povo é abusado, fica fazendo kra de burguês. Mas no final ainda bem que deu tudo certo. Boa viagem.

This comment was minimized by the moderator on the site

E aí cara, já voltou da turnê. (não estou usando interrogação porque até agora não achei o danado). Foste até onde. Pois é, meu castelhano é bem entendível quando dou uma sacaneada. Nós, os seres humanos ainda não somos civilizados de fato. Sempre tem alguém querendo sacanear, passar a perna, dar golpe, enfim, coisa de irracionais. As vezes sou eu o irracional, minha mulher é que me dá uma podada de vez em quando. O importante é que esses detalhes são mínimos, quase nada, em comparação com a quantidade de coisas boas que encontramos numa viagem desse porte. Temos que fazer uma viagem juntos, basta você trocar se Ix35 por uma moto.

This comment was minimized by the moderator on the site

Pois é Mauro, a Yamaha já era. Se você visse como eles trataram o João e a mim em Santa Maria você não iria acreditar. E olha que tinha agendado a revisão a dez días atrás. Simplesmente não fizeram a completa, só algunas gambiarras no mal contato dos farois de milha e lanterna traseira, depois voltou a dar problema. Resolvi eu mesmo fazer o serviço e e até agora, depois de 9.000km ainda não deu problema nos ítens. Quanto a moto do João, uma Super Teneré, os caras não queriam nem trocar o óleo, quanto mais fazer uma revisão. Vou citar a bendita revendedora Yamaha de Santa Maria, chama-se AZZURRA. Pessoal de Yamaha, não procurem essa concessionária nesta cidade. Alías, não procurem nenhuma revenda Yamaha na América Latina. são todas uma bosta. Se não querem ter dor de cabeça, vão a um mecânico de confiança para fazer a revisão. A propósito, a revenda do Chile na cidade de Temuco chama-se Terremoto Chile (Preço alto=Revisão completa, óleo, filtros,troca do pneu, banceamento)

This comment was minimized by the moderator on the site

Mas que coisa hein!!! Na hora de comprarmos uma moto de mais de R$ 30.000,00 só falta nos carregarem no colo, mas na hora de nos darem assistência, ficamos esquecidos. A minha Mid ainda está com 2900 km, mas se for no ritmo do ano passado devo rodar em torno de uns 20 mil km nesse ano, e dai quero ver como vai ser o tratamento aqui nas revendas do litoral catarinense. O bom em tudo isso é que hoje temos uma gama de marcas que podemos escolher, e, mesmo o nosso AMOR antigo pode ser trocado por um novo, que nos deem mais atenção. Poderia relatar qual a km atual de sua moto e o que foi gasto para dar R$ 800,00 de manutenção, levando-se em conta que vc fez a revisão no Chile. Obrigado pela atenção e excelentes dias pela frente. Aproveitem cada instante dessa maravilhosa experiência.

This comment was minimized by the moderator on the site

Pô que merda uma bagaça dessa. É de ficar muito puto mesmo.

This comment was minimized by the moderator on the site

Pô que merda uma bagaça dessa. É de ficar muito puto mesmo.
É isso Eder, a Midnight Star é uma moto muito boa mas seu fabricante é de lascar. Parece que eles não pensam no mercado. A Europa onde a moto foi lançada é uma coisa, tem penu aro 16 para tudo que é gosto. Na América Latina é difícil ese aro, tem muIto 17. Era só a incompetente da Yamaha lançar a Mid na América Latina e Brasil com aro 17. Não passaríamos esse sufoco para comprar um simples pneu.

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia