Eram 8 horas, a temperatura estava um pouco mais agradável nesta manhã, cerca de 1 °C. Saímos novamente para comprar o "desayuno" e após fomos ao centro da comuna de Maipú, bem próximo da casa do Juan, para um breve passeio.

Saímos cedo e caminhando fomos conhecer a praia e fazer alguns registros fotográficos da beleza do lugar bem como dos extensos danos causados pelo tsunami gerado pelo grande terremoto de 2010 que teve uma duração de cerca de 3 minutos

O frio intenso e a chuva nos acompanharam durante todo o trajeto de hoje. Desta vez saímos direto para a autopista Panamericana, sem os desvios do interior da Araucanía e tocamos até Santiago, onde chegamos por volta das 20:00 h.

Amanheceu chovendo e nevando em Santiago, acordamos e fomos tomar um café que já havíamos comprado na noite anterior. Durante este nosso "desayuno" liga o Aliro avisando que o paso Libertadores estava fechado

Enquanto esperávamos o sol esquentar o dia, tomamos um bom café, cambiamos os pesos chilenos restantes por moeda argentina no banco ao lado do hotel e arrumamos as motos danificadas para chegar a Mendoza onde poderíamos fazer uma manutenção melhor.

Levantamos cedo pois o dia seria longo. Começamos a rodar por volta das 8 horas, passamos com muito frio pelas cidades de Rio Cuarto e Venado Tuerto. Paramos para um almoço perto de Rosario e tocamos na Argentina por Victória até a fronteiriça Gualeguaychu.

Esta foi nossa primeira viagem de longa distância realizada em pleno inverno. Quase sempre escolhemos os meses de verão onde as temperaturas são mais amenas aqui no sul. Sabemos que subindo o Brasil pouco muda,

Pagina 2 de 2
Ver mais artigos

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia