Viagem de moto até o Uruguai

A aventura, que daremos início, começou comigo nos anos 70, mais precisamente em 1979. Naquele ano, o meu pai comprou uma "poderosa" Honda CB50 (isto mesmo, 50 cc), que dividimos entre três irmãos, as mulheres quase não usavam. Apesar de ser uma pequenina motocicleta, conseguíamos, mesmo assim, fazermos muitas besteiras em cima dela. Até que, pouco tempo depois, o nosso pai a confiscou e ficamos sem a nossa "poderosa". Habilitação, capacetes, jaquetas, luvas? Ninguém sabia o que era.

O tempo passou e, mesmo sem saber, a paixão pela motocicleta ficou impregnada em mim de alguma forma e nunca soube.

Em julho de 2011 eu e minha esposa, Jussara, viajando com um casal de amigos, Ramon e Biná, para Natal / RN, conversamos muito sobre motos, pois o Ramon, motociclista antigo, falava em trocar a sua Dragstar por uma Fatboy, o que acabou fazendo. Aquela conversa longa, dentro de um avião sem nada o que fazer, acabou reacendendo a minha vontade em ter uma motocicleta.

Chegamos de volta a BH e, um dia, no mês seguinte, quando eu havia programado um encontro com alguns amigos para comemorar o meu aniversário, acordei e resolvi "me dar um presente". E este presente seria uma Harley-Davidson, cujos modelos jamais havia conhecido. Comprei uma Dyna Super Glide e fiquei assustado ... Não conseguia sequer manter a moto equilibrada. Conversei então com um compadre, o Marcelo (já possuía uma Harley), e pedi a ele que levasse a moto para a minha casa em Rio Acima, onde ela iria ficar. No dia em que ele chegou, com muito medo e sob a sua supervisão, subi na "monstrenga" e me arrisquei a dar algumas voltas dentro do nosso condomínio (sem habilitação!). Imediatamente, a antiga paixão voltou e, seis meses depois, já habilitado e com alguma experiência, pois não saia de cima da moto, troquei a Dyna por uma Softail Heritage, batizada com nome de "Princesa".

Passada esta fase, nos atrevemos a fazer dois passeios pelas terras do Tio Sam, com o intuito de andarmos de Harley pela famosa rota 66 e pelo circuito de Jazz de New Orleans a Miami. Lá, fizemos vários amigos, como é comum na família Harley, ficando conhecendo o casal Luciano e Lídia. Os nossos laços de amizade se estreitaram e sempre falávamos em fazermos juntos algum passeio por aqui, além dos diversos que já fazíamos com a turma do HOG. Durante um passeio do HOG este ano, o Luciano se encontrou com um antigo amigo e colega de trabalho, o Edno e sua esposa Luzia, casal fantástico. Fomos apresentados, nos aproximamos e, juntos, programamos esta nossa viagem, conforme nossas experiências.

Comprei outra Harley, agora uma Electra Glide Ultra, batizada de "Valentina", que me acompanhará, juntamente com outras duas irmãs. Assim, iremos então Eu e Jussara, Luciano e Lídia, Édno e Luzia, compartilhando os momentos desta nossa aventura.

... Ícaro, filho de Dédalo, presos no labirinto, após a morte do Minotauro, sonhavam sempre com a liberdade. Quando então, construíram asas artificiais com penas de gaivotas e cera de abelhas e, com esses artefatos, conseguiram subir aos céus, realizando o tão sonhado sonho, encontraram a liberdade. No entanto, por imprudência, Ícaro, acabou não ouvindo os conselhos de seu pai, se acidentado e vindo a encontrar a morte.

Assim, na busca constante da liberdade, somos nós motociclistas, voadores como Ícaro e Dédalo, porém focados na responsabilidade e prudência dos conselhos de Dédalo, exploramos as estradas, curtimos as amizades e os momentos, vivendo sempre "um sonho de liberdade".

abraços aos amigos.

Relato de Viagem de Moto