Viagem de moto até o Uruguai

O dia amanheceu debaixo de uma forte chuva e, como havíamos programados passear na Barra del Chuy, tivemos que cancelar o passeio. Ainda na parte da manhã, a chuva parou e resolvemos voltar à nossa programação, porém já não havia mais carro disponível.

É tudo muito confuso e não sabíamos que existia a Barra do Chuí e a Barra Del Chuy e os taxis com placa do Brasil, não podem levar passageiros para o lado uruguaio e vice versa.

Como nos foi informado (e é verdade), o lado uruguaio é bem melhor que o brasileiro e os únicos taxis que conseguimos eram de placas brasileiras. Assim, tivemos que ficar na porta da aduana uruguaia e caminhar cerca de 500 metros até o povoado, onde se localiza a praia. O lado brasileiro praticamente se resume a um farol e umas poucas casas e no uruguaio, existe um povoado, com uma boa infra-estrutura de bares e restaurantes. As praias são bonitas, com uma área de areia muito grande e com água límpida, porém fria. Passeamos pela Barra, porém não tivemos como aproveitar muito, pois quase todo o comércio estava fechado e mais tarde soubemos que o povo uruguaio (pelo menos nesta região), reserva este dia para ficar com seus familiares.

Como já havíamos programado, a nossa passagem de ano foi muito simples. Ficamos hospedados em um hotel muito bem localizado, onde, especialmente as mulheres, puderam aproveitar e fazer compras, dentro do possível de nossas bagagens ! O hotel ofereceu uma ceia de ano novo e resolvemos ficar por aqui e foram momentos agradáveis que passamos juntos. Pelo menos, pudemos rever nossa viagem, rir dos "perrengues" e novamente tivemos a oportunidade de refletir sobre os próximos dias.

Até o momento, nossas poderosas máquinas estão se comportando muito bem, nenhuma surpresa e esperamos continuar assim, com a ajuda do Alto. Exceto que as máquinas do Luciano e do Édno resolveram fazer, o que é normal de qualquer HD, deixar alguns parafusos pelo caminho ! Já substituídos.

Assim foi a nossa passagem pelas confusas cidades de Chuí e Chuy !

Abraços

PS .: Agradecemos novamente aos amigos, familiares e companheiros de estradas pelas mensagens que temos recebido. Temos lido todas, porém nem sempre temos tido condições de responder, por falta de conexão com a net. Somente quando estamos longe de casa vemos o quanto estas manifestações são importantes.