Viagem de moto até o Uruguai

Saímos cedo de Uruguaiana, por volta das 8h30min, como de praxe. Fizemos a nossa foto de saída, nossas orações e pegamos estrada. Conforme havíamos conversado com algumas pessoas no dia anterior, nos foi informado que as rodovias BR-472 e BR-158, que dão acesso a Palmeira das Missões, nosso próximo destino, estavam em condições ruins.

Pela primeira vez em nossa viagem, trafegamos por estradas que colocaram a prova a nossa capacidade de pilotar nossas Harleys. Duas estradas típicas das piores do interior de nossa Minas Gerais. Muita deformação no asfalto, buracos, além de muitos caminhões, o que nos exigiria muito cuidado. Diminuímos o nosso rítmo e tocamos, sempre rogando a proteção Divina. Em determinado trecho, encontramos uma ponte longa, onde trafega apenas um veículo por vez, coisa absurda para uma rodovia federal e de tráfego relativamente alto, controlado por um semáforo ! Coisas de estradas brasileiras...

Nesse caminho, passamos e entramos na cidade de São Borja, terra de Getúlio Vargas e João Goulart. Uma cidade de pouco mais de 67 mil habitantes. Considerada a primeira cidade dos Sete Povos das Missões, conjunto de aldeamentos indígenas fundadas pelos jesuítas espanhóis no noroeste do estado do Rio Grande do Sul, no período de colonização da américa do sul. Na rápida volta que demos, nos pareceu uma cidade agradável e que faz questão do culto destas duas personalidades da política brasileira.

Com "persistência", continuamos pela BR-158 até chegarmos a Palmeira das Missões, outra cidade fundada pelos espanhóis e que daria apoio aos Sete Povos das Missões. É uma cidade de apenas 35 mil habitantes, de ruas largas, muito tranquila e onde passamos uma noite.

Um pouco antes de chegarmos nessa cidade, paramos em um posto de caminhoneiros para abastecimentos e lanches e conversamos com dois motoristas sobre a estrada que iríamos pegar no dia seguinte. Preocupados, porque, logo depois que saímos de viagem, o Rômulo nos enviou uma mensagem informando que algum "anjo" amigo motociclista pedira para nos alertar sobre as péssimas condição daquela estrada. Não fosse esse alerta, não teríamos a preocupação ... teríamos nos ferrado. Muito bem, ambos os motoristas nos informaram que a situação daquela estrada que liga Palmeira das Missões a Foz do Iguaçu, estava em condições tão precárias que nem eles (caminhoneiros) estavam passando por lá. Nos falaram de buracos imensos que caberiam quase que a nossas motos ! Ficamos apavorados ...

Verifiquei em meu navegador GPS outras alternativas, o configurei para o caminho mais perto e nos deu 560 Km, todo ele no trecho precário. Mudei a configuração para o caminho mais rápido e o navegador informou outro trecho, porém de 717 Km. Achei estranho, pois como um caminho com mais de 150 Km poderia ser mais rápido e conversei e mostrei aos motoristas e me informaram que o navegador estava correto, pois aquele é o trecho por onde eles passam hoje. No entanto, esse trecho de 717 Km não está livre da estrada ruim, cerca de 250 Km em péssimas condições. Ainda, o tempo previsto eram de 12 horas para percorrê-los!

Neste dia foi aniversário do Luciano, então fizemos uma pequena comemoração, mas preocupados. Conversamos muito como iríamos fazer e, como sempre, nossas companheiras nos davam uma força incrível, pois estavam prontas para qualquer batalha ... muito bom isto. Mas sabíamos que pilotar nossas motos nestas condições não seria nada agradável e iria gerar um desgaste muito grande ...

Fomos dormir preocupados ... o que fazer ?

abraços

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia