Viagem de moto Argentina

O dia foi complicado, para não sair da rotina dessa viagem. A ideia era tentar chegar o mais próximo possível de Santiago, distante 1180 km de Bariloche. Se não fosse a aduana e uma grande quantidade de veículos na minha frente em uma estrada sem pontos de ultrapassagem, talvez desse para chegar lá. Mas não deu.

Quando saí de Bariloche o céu estava limpo, temperatura agradável, mas ainda exigindo um reforço na roupa.

A estrada de Bariloche até a Ruta 5 no Chile é, em sua maior parte, com apenas uma pista em cada sentido, quase sem pontos de ultrapassagem e com bastante movimento. Já no Chile, um trecho em construção com sistema de pare e siga, desvio e fila de carros passando por um desvio.

Some-se a isso as lindas paisagens do Parque Nacional Nahuel Huapi e da Cordilheira dos Andes e a vontade de parar a cada quilômetro para registrar.

Viagem de moto Argentina - Bariloche

O processo de migração e aduana, tanto de saída da Argentina quanto de entrada no Chile foram extremamente lentas. Muita fila em ambas e muita burocracia.

Isso tudo fez com que a viagem até pegar a Ruta 5, numa distância de cerca de 220 km, demorasse quase 6 horas.

Fiz uma parada em Osorno para abastecer e fazer um lanche e a partir dali peguei a Ruta 5, Conhecida também como Rodovia Pan Americana. Uma estrada duplicada, bem sinalizada, com manutenção criteriosa, velocidade limite de 120 km/h e pedagiada. A viagem começou a render quando travei o acelerador da moto nos 120 km/h pelo GPS, o que resulta em cerca de 130 no velocímetro. Uma velocidade segura para a pista.

Viagem de moto Argentina

Comecei a ter que parar com frequência para lavar o rosto, beber água e tentar espantar o sono, mas perto da cidade de Temuco achei melhor parar em definitivo, por questão de segurança. Não deu mais.

Entrei na cidade, procurei um hotel simples e com preço justo e parei para descansar, depois de percorrer apenas 531 km. Hotel Belle. Pedi uma pizza no quarto e dormi cedo.

Comentários (7)

This comment was minimized by the moderator on the site

Olá Rômulo, estou lendo seus relatos e fico me perguntando qual o GPS que ele usou? Você pode informar? Estou colhendo informações e programando a minha viagem para quem sabe 2020. Abraços.

This comment was minimized by the moderator on the site

Olá Francisco.
Utilizei um Garmin Zumo 390LM . Muito bom, tem atualização vitalícia do mapa Brasil.
Abraços

This comment was minimized by the moderator on the site

Caro Fernando - é o passo Samoré.

This comment was minimized by the moderator on the site

Daí guri?!
Qual paso vc atravessou?
Entre San Martin de Los Andes até Osorno tem um paso. Vc passou por lá?
Sei q esse paso é asfaltado. Não tem rotas pelo googlemaps. As aduanas são separadas.
E a estrada é tranquila. Só q cheio de curvas.
Informe esse detalhe ai... Se puder guri.
Boa viagem....

This comment was minimized by the moderator on the site

Olá Fernando. Eu atravessei a fronteira pelo Paso Puyehue-Samoré. As estradas são a RN-40 e RN-231 na Argentina e 215 no Chile. Tem muitas curvas também e é uma região linda. Você deve estar falando do Paso Pino Hachado. Pelo que sei, a estrada (RN-242) tem parte de rípio.

This comment was minimized by the moderator on the site

Sim... esta mesma rota que eu me referia. Devia ter dito os números das rodovias.
Vi que é bem tranquila. Usarei essa rota em breve. Como citei, não há trajeto no maps, mas sei agora que é segura e tranquila. Grato guri!

This comment was minimized by the moderator on the site

Isso mesmo, amigo, prudência é a palavra. Melhor atrasar 1 dia e evitar riscos. Siga c Deus.

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia