Viagem de moto até Bonito

A ideia para esse dia era passar por Campo Grande para registrar a “conquista” da capital do Mato Grosso do Sul e chegar a Bonito no fim da tarde. Para isso seria necessário percorrer os 950 km que me separavam do destino do dia.

Passavam poucos minutos das 7h30 quando peguei estrada. O calor já era forte no início da manhã, chegando quase aos 30°C e foi aumentando vertiginosamente durante o dia. A temperatura mais elevada do dia eu encontrei na cidade de Bataguassu. 47°C na sombra, por volta de 12h20. O vento que batia no meu corpo parecia vir de um secador de cabelos. Um horror. A temperatura deixava a viagem muito cansativa.

Viagem de moto Bonito

Continuei viagem pela Transbrasiliana, depois percorri trechos das rodovias Assis Chateaubriand (SP-425), Marechal Rondon (SP-300) e Rodovia Euclides de Figueiredo (SP-563). Neste percurso pelas estradas do interior de São Paulo eu paguei R$ 16,55 de pedágio em 6 praças.

Depois de passar por Paulicéia, cheguei à divisa entre os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, onde parei sobre a bonita ponte que atravessa o rio Paraná para registrar a entrada no único estado que faltava no meu currículo de viajante de moto.

Viagem de moto até Bonito

Viagem de moto Bonito

Depois de atravessar a ponte, entrei em uma área de proteção ambiental. Passei por um motociclista parado no acostamento fotografando alguma coisa com seu celular. Diminuí a velocidade e vi que era um veado campeiro pastando tranquilamente não muito longe da estrada. Parei, peguei a câmera e tirei uma foto do animal também. Segundo o rapaz, todos os dias ele passa por aquele lugar o vê uma família desses animais. Desta vez só tinha um.

Viagem de moto até Bonito

A primeira cidade do Mato Grosso do Sul foi Brasilândia. Dela segui pela MS-395, depois pela BR-267 e BR-163 até Campo Grande. Nesse trajeto passei apenas por uma praça de pedágio, na BR-163, onde paguei R$ 3,90. As estradas estavam razoáveis, a maior parte com pistas simples e muitas retas que facilitaram as ultrapassagens.

A paisagem era marcada principalmente por pastagens de gado e grandes extensões de lavoura de cana de açúcar já colhida, dando um tom de palha ao horizonte.

O consumo de combustível aumentou e a moto passou registrar cerca de 16, 17 km/l. Não sei dizer se foi por causa da qualidade da gasolina.

Por volta das 16h30 o tempo ficou fechado. Em determinado momento o vento ficou muito forte e começou a cair raios. Eu passava perto de um posto de combustível abandonado, então resolvi parar sob sua cobertura para me abrigar. Foi o tempo de parar e descer da moto para o céu cair. Vento fortíssimo, que carregou telhas e objetos que havia nas redondezas. Raios e trovões caíram perto. Deu medo. Choveu forte também. Mesmo debaixo da cobertura do posto, me molhei por causa do vento.

A chuva reduziu. Me preparava para retomar viagem quando um motociclista chegou com o filho na garupa. Vinham de Campo Grande e iam para a Serra do Rio do Rastro. Disseram que a tempestade os pegou na estrada e foi tenso.

Despedi dos viajantes e fui para a estrada.

Pouco depois voltou a chover, mas como não era forte como havia ocorrido antes, continuei viagem, sem mesmo colocar a capa de chuva. A temperatura caiu para 22°C. Agora comecei a sentir frio.

Cheguei a Campo Grande por volta das 17h30, com chuva. Resolvi ficar na cidade. Procurei um hotel próximo e me hospedei. Mais tarde fui a um restaurante onde tomei uma cerveja e comi iscas de peixes.

Mapa Viagem de moto até Bonito

Foram 830 km percorridos no dia.

Continuar lendo história de viagem de moto

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia

Mais viagens pelo Brasil

Por todos os caminhos da Estrada Real

O paulistano Saulo realizou o que muitos brasileiros sonham fazer, mas sempre adiam por diversos...

De Porto Velho a Rio Branco, com muita história para contar

Nos percebemos verdadeiramente apaixonados por motos quando nos damos conta de que elas fazem...

Um passeio por 11 estados

Durante 15 dias do mês de março passado o motociclista Otávio Araújo, o Gugu, de 69 anos, fez uma...