Viagem de moto pela Patagônia

Estou em Puerto San Julian. No caminho para cá passei por várias "bomba cabeça de cavalo", aquelas máquinas que tirar o petróleo do fundo da terra. Agora confirmamos a origem do petróleo da Argentina como sendo da Patagônia.

Também passei por alguns pequenos lagos parecidos com os salares, comuns na região andina, de onde se extrai o sal mineral.

Mas o que chama atenção mesmo nesta região é o vento. Não quero ser prolixo, mas é tão marcante e desafiante andar de moto sob vento muito forte (no Brasil isto é conhecido como ventania "braba"), que tenho que falar... O vento é tão forte, constante e violento que há até uma estação de rádio específica para dar informações sobre ele.

Para fazer as fotos tenho que parar com cuidado, segurando firmemente a moto e depois me equilibrando para não ser jogado no chão. Praticamente impossível andar em linha reta na estrada. Frequentemente surge uma rajada mais forte que joga a moto para o lado (e estou falando de quase meia tonelada que aqui parece uma caixa de papelão vazia... não sei como um cara com uma moto menor e leve conseguiria andar por estas bandas; aliás, desde que entrei nesta região, não cruzei com nenhuma moto pequena de moradores locais (muito comuns em outros locais), apenas alguns poucos motociclistas aventureiros como eu). Ao cruzar com caminhões, ando próximo ao acostamento para mitigar risco de choque. Tenho que fazer exercícios constantes com a cabeça para aliviar a dor no pescoço, o qual é submetido a intenso esforço para manter a cabeça com o capacete na posição vertical. Enfim, algo surpreendentemente novo e desafiador, que demanda atenção, perícia (estou aprendendo aos poucos a andar nestas condições) e muita resiliência.

Viagem de moto Patagonia

Após 360 km em quase 5 horas com uma parada mais prolongada para abastecer, estava extenuado como se tivesse viajado umas 12h...

No posto, ao conversar com o frentista que estava todo encapuzado, ele me disse que hoje o vento está "mais forte" que o normal. PQP, para mim é uma ventania forte pra c........!!! Desta vez e pela primeira vez com a Gilda, abasteci na saída, pois ao parar fui direto ao banheiro aquecer minhas mãos (tenho feito isto sempre que paro em um posto nos últimos dias) no que considero hoje uma das máquinas mais maravilhosas que o homem já produziu...

Cheguei a Puerto San Julian (parecia uma cidade fantasma como nos filmes, dom, por volta das 3h da tarde, ninguém na rua, somente alguns poucos carros circulando, as árvores balançando com a ventania e o som típico do vento forte.

Passei e registrei 👇a réplica em tamanho real da Nau Capitânia Victoria de Fernão de Magalhães e de um dos Mirage que participou da guerra das Malvinas.

Viagem de moto Patagonia 02

Fiz a última foto do dia registrando a bela baía de San Julian com suas águas na cor verde. Depois cheguei ao hotel: duas portas para entrar, e finalmente calmaria e calor - todos os locais possuem aquecimento. Me instalei, deitei e descansei até às 21h (anoitecendo), quando fui ao restaurante em frente, jantei e retornei.

Hasta luego!

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia