Em setembro do ano passado fizemos uma viagem de 21 dias com foco na Estrada da Morte na Bolívia e Machu Picchu no Peru. Fomos meu amigo Sílvio Lima, que saiu de Itaperuna (RJ) e eu de Ponte Nova (MG). Nosso ponto de encontro foi na cidade de Belo Horizonte (MG), onde eu tinha que acertar os últimos detalhes na moto, um problema no ABS dianteiro e o Silvio fazer o seu cartão de vacina internacional.

Quem já não pensou em largar tudo e aventurar-se pelo mundo afora, desbravando novos horizontes, conhecendo novas culturas, sabores e cores; subindo cordilheiras nevadas e vulcões ativos, cruzando por desertos e salares; caminhando por lagunas e glaciares, perdendo-se pelas praias mais lindas e pelas planícies mais áridas; nadando em rios termais de aguas cristalinas e banhar-se nas mais altas cachoeiras?!

Durante uma conversa entre amigos, alguém lançou a ideia de fazermos uma viagem de moto saindo de Porto Velho (RO) para percorrer as estradas do Peru e Chile. Nos dias que se seguiram vieram muitas ideias para realização dessa viagem e muitos disseram que iriam, interagiram e ajudaram com os planos.

Depois de muito pensar na vida e no futuro, resolvi largar tudo e partir para uma viagem pelo mundo em uma Honda Biz 125. Fiz alterações na moto para facilitar a viagem, aumentar o conforto e a segurança e parti de Guaramirim (SC) para a maior aventura da minha vida.

Da Colômbia ao Brasil, em uma rota de mais de 25 mil quilômetros, passando por quase todos os países da América do Sul em uma Royal Enfield Classic 500. Esse é o roteiro escolhido pela engenheira alemã Simone Maria Richardt, em uma viagem de moto que já tem nove meses pelo continente e chegou nesta semana a São Paulo. Aos 36 anos já conheceu mais de 100 países, a maioria deles em duas rodas.

Nos meses de dezembro e janeiro passado, o casal Aires e Patrícia Pilonetto, de Jaraguá do Sul (SC), fez uma viagem de moto pela Argentina e Chile, quando conheceram a Patagônia, Rota dos 7 Lagos, Ilha de Chiloé e atravessaram seis passagens da Cordilheira dos Andes entre os dois países.

O objetivo é chegar a Machu Picchu, no Peru. O grupo composto por Marcos Carambola, Dorinha e João Bosco, saiu de Viçosa (MG) e o primeiro ponto de parada foi a cidade de Poços de Caldas, também em Minas Gerais, distante aproximadamente 600 km do local de partida.

Ver mais artigos

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia